quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Poeta do Sertão - Adauto Barbosa

“ Ai que saudade do tempo que fui criança
Que nada tinha importância
O bom mesmo era brincar
No empoeirado terreiro de minha rua
Eu chamava a molecada
Pra gente ir traquinar
E da mocinha não se pegava na mão,
A luz era lampião,
Mal podia clarear,
Mas o respeito era uma coisa divina,
Fazia parte da doutrina deste nosso bom lugar.”
(Adauto Barbosa)

Nenhum comentário:
Write comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.