quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Pelo menos R$ 50 milhões são cortados da Saúde no Ceará

O corte nos orçamentos atinge os hospitais regionais, o Waldemar Alcântara e as UPAs. Redução ocorre em meio a problemas na rede

Os recursos são direcionados ao Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) para operacionalização da gestão e dos serviços de saúde e devem ser pagos em parcelas mensais. Os orçamentos para os hospitais em 2017 foram publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) do último dia 7 e tinham sido aprovados pelo secretário da Saúde, Henrique Javi, no dia 31 de janeiro.

Ao ser questionada sobre os cortes no orçamento, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) garantiu “não haver redução nos serviços da rede pública de saúde estadual”. Entretanto, conforme a defensora pública Silvana Matos Feitosa, uma visita ao Hospital Regional do Cariri, na última sexta-feira, 10, constatou que a unidade não estava realizando cirurgias eletivas. “Nos foi relatado que já existia essa dificuldade e que haveria redução do orçamento. Vamos investigar os gargalos e ver se é necessária alguma medida judicial”, disse. A Sesa atribuiu à classificação de risco a prioridade aos casos de urgência. “Isso pode alterar o cronograma de cirurgias eletivas”, destacou a pasta através de nota.

Médicos
Foram os profissionais da Saúde que procuraram o Sindicato dos Médicos do Ceará para denunciar o corte nos orçamentos das unidades. “Eles pediram socorro porque entendem que já funcionam com orçamento muito enxuto. Então, qualquer redução vai representar o fechamento do serviço”, alerta a presidente da entidade, Mayra Pinheiro. 

Conforme a médica, no Hospital Regional Norte, em Sobral, o serviço de neurocirurgia deverá parar de funcionar. “O que foi noticiado para nós é que fechariam ainda as UTIs Neonatal e Adulto. Nas UPAs, a intenção é diminuir os atendimentos porque cortaria o número de profissionais”, relata.

Hospitais regionais
Os hospitais regionais foram construídos com o objetivo de desafogar o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), principalmente em casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC). Do Cariri até a Capital são cerca de seis horas de viagem. De acordo com informações da Sesa, o tempo para evitar sequelas em pacientes nesses casos é de aproximadamente quatro horas.
O Povo Online

Nenhum comentário:
Write comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.